CATEGORIA AUTOR

Bartolomeu Campos de Queirós

Vermelho amargo
Cosac Naify

Um narrador em primeira pessoa revisita a dolorosa infância, marcada pela ausência da mãe substituída por uma madrasta indiferente. Há os irmãos, filhos de um pai que não larga o álcool e de uma madrasta que serve em todas as refeições fatia cada vez mais finas de tomate. Eles desenvolvem diversas anomalias para tentar suprir a ausência de afeto e a saudade da mãe – um come vidro, a outra não larga as agulhas e o ponto cruz.


Bartolomeu Campos de Queirós nasceu em 1944 e viveu a infância em Papagaio (MG). Formou-se em educação e artes, e criou-se como humanista. Com mais de 40 livros publicados, recebeu prêmios importantes, como Grande Prêmio da Crítica em Literatura Infantil/Juvenil pela APCA, Jabuti, FNLIJ e Academia Brasileira de Letras. Faleceu em 16 de janeiro de 2012.

CATEGORIA AUTOR ESTREANTE

Suzana Montoro

Os hungareses
Ofício das Palavras

Existe um fato alegórico que representa o romance, a mudança de nacionalidade da aldeia. O não falar que este momento provoca permeia todo o relato. Os personagens narram suas relações, porém a interação deles é pobre como a linguagem que perderam A autora traz a saga de um povo sofrido, pobre, sem recursos, em meio a guerras, mortes, separações, doenças, mas que mantém sempre uma alegria e uma maneira de encarar a vida.


Paulistana, nascida em 1957, formou-se em Psicologia em 1979. Atua como psicoterapeuta clínica. Dedica-se, paralelamente, à atividade literária. Já publicou livros para crianças e jovens, que receberam o selo de “Altamente Recomendável” pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, onde se destacam O Menino das Chuvas (1994) e Em busca da sombra (1999).

 

Leia Mais →
Compartilhar:

MELHOR LIVRO DO ANO 2011

Adriana Lunardi – A vendedora de fósforos (Rocco)
Bartolomeu Campos De Queirós – Vermelho amargo  (Cosac Naify)
Domingos Pellegrini – Herança de Maria (Leya)
Hélio Pólvora – Don Solidon (Casarão do Verbo)
Luiz Ruffato – Domingos sem Deus (Record)
Luiz Vilela – Perdição (Record)
Michel Laub – Diário da queda (Companhia das Letras)
Paulo Scott – Habitante irreal (Alfaguara)
Silvio Lancellotti – Em nome do pai dos burros (Global)
Tatiana Salem Levy – Dois rios (Record)

MELHOR LIVRO DE ROMANCE DO ANO - AUTOR ESTREANTE

Ana Mariano – Atado de ervas (LP&M)
Bernardo Kucinski – K (Expressão Popular)
Chico Lopes – O estranho no corredor (Editora 34)
Edmar Monteiro Filho – Fita azul (Babel)
Eliane Brum – Uma duas (Leya)
Júlian Fuks – Procura do romance (Record)
Luciana Hidalgo – O passeador (Rocco)
Marcos Bagno – As memórias de Eugênia (Positivo)
Susana Fuentes – Luzia (7 Letras)
Suzana Montoro – Os hungareses (Ofício da Palavra)

Leia Mais →
Compartilhar:

CURADORES

Joaquim Maria Botelho
José Castilho Marques Neto
José Renato Nalini
Márcia Elísa Garcia de Grandi
Marisa Lajolo
JÚRI INICIAL

Cida Saldanha
Egle Amato
Francisco Foot Hardman
Luís Avelima
Marcos Antônio de Moraes
Maria Zilda da Cunha
Manuel da Costa Pinto
Margaret Alves Antunes
Ricardo Filho
Vitor Tavares da Silva
JÚRI FINAL

Djair Rodrigues de Souza
Fábio Lucas Gomes
Fernando Augusto Magalhães Paixão
Helena Bonito Couto Pereira
Lúcio Cláudio Zaccara
Leia Mais →
Compartilhar: